Madre Anastasie

Alexandrine Conduché é a fundadora da Congregação das Irmãs Dominicanas de Nossa Senhora do Rosário de Monteils. Nascida em Compeyre, situada nas gargantas do Rio Tarn, França; de uma família muito pobre e de fé sólida, recebe uma educação escolar precoce e relativamente longa para a sua época: “ela era completa em tudo”, relatam-nos as crônicas.

Aos treze anos, para não mais permanecer ao encargo dos pais, ela sai de Compeyre e vai para o presbitério do seu tio Artières, em Tizac. O padre Artières, consciente das qualidades intelectuais da sua jovem sobrinha, decidiu abrir uma escola da qual se torna responsável.

A competência de Alexandrine é logo reconhecida e devemos notar que, com um raro bom senso, ela sabe adaptar o seu ensinamento às necessidades dos seus alunos.

Muito sensível ao sofrimento, madre Anastasie não hesita em enviar, desde o início da fundação, Irmãs para visitar e cuidar dos doentes, após as horas de aulas e, por vezes, uma irmã era encarregada dos doentes da paróquia, de dia e de noite. As Irmãs aprendem assim a própria linguagem do Evangelho, na qual o anúncio da Palavra é sempre acompanhada das palavras e gestos de bondade.

 

 

Irmã Carmelita Maria

Marina Miranda Cardoso nasceu em Uberaba, em 27 de maio de 1917, filha de Antonio Cardoso e Carmelita Miranda Cardoso.
Estudou no Colégio Pio Nossa Senhora das Dores, Marina sentia-se atraída para a vida religiosa e aspirava pertencer à Congregação de suas Mestras. Em 1937, ingressou no noviciado das Irmãs Dominicanas, e adotou o nome religioso de Irmã Carmelita Maria.

Trabalhou no Colégio Nossa Senhora do Rosário de São Paulo, em Araxá, no Colégio São Domingos; em Uberaba, no Colégio Nossa Senhora das Dores, onde passou 15 anos de sua vida religiosa.

Em 1956, foi escolhida para a fundação do Colégio Nossa Senhora do Rosário de Curitiba e quando a obra estava consolidada, Ir. Carmelita foi transferida para o Colégio N. Senhora das Dores, em Uberaba-MG. Irmã Carmelita Maria faleceu em 06 de julho de 1968.